Angola – Um País feliz em forma de cicatriz.

27 11 2012


Você acredita que quanto mais rico e desenvolvido é um País, mais felizes são as pessoas que habitam  nele? Há quem diga que uma coisa tem tudo a ver com a outra, mas para mim, isso não faz nenhum sentido. Tive a prova disso nos dias que passei no País de Angola.

Para embasarmos essa afirmação vamos tomar como exemplo o tema suicídio, países do Leste Europeu são os recordistas em média de suicídio por 100.000 habitantes.  Foram 195 mil suicídios no ano de 2000, seguido pela Índia com 87 mil, a Rússia com 52,5 mil, os Estados Unidos com 31 mil, o Japão com 20 mil e a Alemanha com 12,5 mil. Ou seja, nenhum dos 10 países mais pobres do mundo a saber: Zimbabue, Chade, Burundi, Libéria, Guinea Bissau, Somália, República Centro Africana, Eritréia, Niger e Serra Leoa.

O País de Angola sofreu verdadeiras retalhações: 30anos de Guerra Civíl, Doenças, Falta de Saneamento Básico, Recursos Escassos e muitos outros motivos para aquele povo não ter mais amor à vida ou vontade de se reconstruir, porém eles escolheram VIVER, escolheram se Reerguer e hoje faz 10 anos que a guerra não faz mais parte daquele cotidiano e o que os Angolanos mais desejam é estar livre das más lembranças de luta e morte.

O povo de Angola é forte, cheio de vontade e superação, são hospitaleiros, alegres, adoram dançar e são receptivos.

A razão desse artigo é compartilhar uma reflexão pessoal que agregou muito.  Vários “ladrões da alegria” apareceram ao longo da história dos Angolanos tentando abatê-los, mas eles não se renderam.

A pergunta é: Quantas vezes por motivos fúteis queremos desistir das coisas,  das pessoas, do trabalho que temos, da igreja que frequentamos, do casamento que estamos, murmuramos excessivamente do que temos para comer, vestir, do banho não tão quente, da comida… todos nós temos “ladrões da alegria”, temos motivos para nos entristecer, motivos que muitas vezes deixam cicatrizes no nosso EU, mas NUNCA podemos desistir.

Angola não desistiu e esta se erguendo de forma incrivelmente rápida, devemos nos inspirar nessa Nação que ainda dará muito certo e assim sermos gratos e fortes o suficiente para que com Fé em Deus + Um coração sensível à Ele possamos também a cada dia vencer e nos reerguer.

‎”Eu segurei muitas coisas em minhas mãos e eu as perdi; mas tudo que eu coloquei nas mãos de Deus eu ainda possuo” (Martin Luther King)

Foto tirada na Aldeia do Kunje em Kuito Bié-Angola, onde foi fundada por voluntários brasileiros uma escola que abriga atualmente quase 700 alunos, servindo ensino e refeições diariamente além de reavivar a cada dia a esperança no olhar dessas crianças Angolas.

Conheça mais sobre o projeto através do BLOG: http://aldeianissi.blogspot.com.br/