Precipitação = Precipício

22 09 2013

292148_205857116201580_119681551485804_348333_384555503_nVocê já parou para pensar o quanto a palavra precipitação se assemelha a precipício? E muito mais que nas letras que as compõem, elas podem ser derivadas uma da outra.

Quantas vezes você viu pessoas desistirem precipitadamente de seus novos empregos, casamentos e de seus sonhos, simplesmente por não conseguirem superar o novo, o diferente, por não terem forças ou foco suficiente para ceder ou aceitar a fase de adaptação que nem sempre é fácil. O problema muitas vezes não está no desistir, mas no arrependimento que pode ser amargo ou trazer uma frustração irremediável.

Há um tempo li uma fábula que exemplifica muito bem o tema, ela se chama O Lenhador e a raposa:

lenhador“Existiu um lenhador que acordava às 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha, e só parava tarde da noite.
Esse lenhador tinha um filho, lindo, de poucos meses; e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação de sua total confiança.
Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho. Todas as noites ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada.
Os vizinhos do lenhador alertavam que a raposa era um bicho, um animal selvagem; portanto, não era confiável. Quando ela sentisse fome comeria a criança.
O lenhador sempre retrucando com os vizinhos falava que isso era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga e jamais faria isso.
Os vizinhos insistiam: – “Lenhador abra os olhos ! A raposa vai comer seu filho.” “ Quando ele sentir fome vai comer o seu filho!”
Um dia o lenhador exausto do trabalho e muito cansado desses comentários ao chegar em casa viu a raposa sorrindo como sempre e sua boca totalmente ensanguentada.. o lenhador suou frio e sem pensar duas vezes acertou o machado na cabeça da raposa…
Ao entrar no quarto desesperado encontrou seu filho no berço dormindo tranquilamente e ao lado do berço uma cobra morta.
O lenhador enterrou o Machado e a Raposa juntos. Nesse lugar nasceu uma linda árvore que jamais seria cortada. Moral da fábula: Atitudes precipitadas podem ser verdadeiros suicídios emocionais, sentimentais, profissionais…

insonia

“A imaturidade é mãe da precipitação, avó do erro e bisavó do arrependimento”

Dan Goleman comprovou cientificamente que quando estamos nervosos ou sofremos alguma ameaça podemos ter o “rapto amigdalar” onde a “sensatez e inteligência” são ignoradas e  pode resultar em atos violentos e irreversíveis.

Thomas Jefferson, autor da declaração da Independência Americana era um verdadeiro gênio em relacionamento interpessoal e negociação, ele foi autor de uma frase que ajudaria muitos precipitados “Se ficar zangado, conte até dez antes de dizer qualquer coisa. Se não tiver se acalmado, conte até cem; e se não se tiver acalmado depois disso, conte até mil”  

E será que isso funciona?

Falamos muito de relacionamento interpessoal (com o próximo), desenvolver um auto-controle com certeza resulta um maior relacionamento intrapessoal (consigo mesmo).

Para finalizar, gostaria de deixar algumas dicas que podem ser úteis:

                                           precipício

 1 Pense antes de agir: Melhor passar alguns minutos pensando, do que anos, dias, meses tentando consertar o que não se pensou.

 2 Imagine as Consequências: Atitudes precipitadas desfaz amizades, lares, magoa e nem sempre conseguimos voltar atrás.

 3 Respire fundo

 4 Dê tempo ao tempo: Momentos difíceis passam,  atitudes precipitadas podem te levar ao PRECIPÍCIO!

Deixe seu comentário, compartilhe suas experiências com o tema!

Até a próxima 🙂